top of page

O conjunto das entrevistas constitui importante leitura e inestimável contribuição para uma radiografia, não só do processo de formação da profissão no Brasil na segunda metade do século XX, como, também, da situação em que se encontra, hoje, a profissão no país.

Há neste livro o depoimento de cinco ex-ministros de Estado (Campos, Furtado, Delfim, Simonsen e Bresser-Pereira), dois ex-presidentes do Banco Central (Pastore e Arida), dois ex-presidentes do BNDES (Bacha, Arida), dois ex-diretores do Banco Central (Lara Resende, Arida), um ex-chefe de Assessoria Econômica e um outro assessor do ministro da Fazenda (Belluzzo e Paulo Nogueira à época de Funaro). Três dos entrevistados foram deputados federais (Campos, Delfim, Conceição).

O leitor verificará por si que há neste livro um riquíssimo material para reflexão, para o estudo do papel da retórica (como arte da persuasão) na profissão, e para uma avaliação, por parte de cada um, da importância (ou falta de importância) que os economistas atribuem a si próprios e à sua profissão ou à sua “ciência”, tanto no Brasil como no mundo.

 

Pedro Malan

Conversas com economistas brasileiros