SINOPSE

Fruto das investigações iniciais na Argélia, no início de sua carreira. Com observação empírica e muitos dados estatísticos, Pierre Bourdieu (1930-2002) elabora uma visão muito crítica da economia e do desenvolvimento e mostra como, na busca pelo progresso econômico, o modo de vida tradicional dos povos se desagregava em conflito com as novas disposições capitalistas, destruindo o mito de um Homo economicus universal e racional muito defendido até hoje por economistas de várias vertentes. O livro emite, ainda, um alerta contundente dos estragos social, econômico e cultural causados pelas estruturas externas de dominação impostas violentamente aos modos de vida de vida das populações invadidas. 

Esta nova edição da Perspectiva foi não apenas revista como ampliada. Além da apresentação de Elisa Klüger, pesquisadora do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), que contextualiza a obra e seu autor, traz outros dois textos de Bourdieu sobre os cabilas: “O Senso de Honra” e “A Casa Cabila ou o Mundo Invertido”.

 

QUARTA-CAPA

Empirismo, estatística, ou seja, ciência. Com esse fundamento, Pierre Bourdieu elabora uma visão crítica da economia e do desenvolvimento que inaugurou uma nova era nos estudos sociológicos e nada perdeu de sua atualidade. A sociabilidade e a solidariedade comunitárias; a divisão sexual do trabalho; a introdução das disposições necessárias ao cálculo econômico e à gestão monetária; a mudança na forma de morar e na relação da família com o espaço da casa; a noção de trabalho e a forma como se procura emprego: analisando-as, ele evidencia como na busca pelo desenvolvimento econômico o modo de vida tradicional se desagrega em conflito com as disposições capitalistas trazidas pela colonização europeia. eis O Desencantamento do Mundo e o fim do mito de um homo economicus universal e racional.

O Desencantamento do mundo: Estruturas econômicas e estruturas temporais

R$54.90Preço