"O grande pensador da modernidade “Pela primeira vez na história da arquitetura surge um material artificial de construção, o ferro. Ele passa por um desenvolvimento cuja velocidade se acelera no decorrer do século. Ele recebe o impulso decisivo quando se descobre que a locomotiva, com a qual se faziam experiências desde o fim dos anos 1820, só funciona sobre trilhos de ferro. Os trilhos se tornam a primeira peça moldada de ferro, a precursora das vigas. Evita-se usar o ferro na construção de moradias, e ele é utilizado nas passagens, pavilhões de exposição, estações de trem – construções com fins transitórios. Ao mesmo tempo, ampliam-se as possibilidades de uso arquitetônico do vidro. Mas condições sociais para sua utilização como material de construção só aparecerão cem anos mais tarde.” Trecho de Paris, a capital do século XIX Neste volume o leitor encontra um recorte sobre as cidades e a arquitetura que atravessa a obra de Walter Benjamin (1892-1940) de 1923 a 1940. Com textos e excertos retirados de diferentes trabalhos, esta compilação traz reflexões de um dos pensadores mais originais que já viveram. Como ninguém, Benjamin aliou diversos campos do saber ao pensar o fenômeno das cidades tanto do ponto de vista arquitetônico e urbanístico quanto da ocupação humana. Walter Benjamin foi um intelectual múltiplo, impossível de classificar. Como poucos, foi atento às mudanças na cultura e versou com profundidade sobre os mais diversos assuntos, do conceito de história à moda, praticamente reinventando a ideia de crítica. O fenômeno urbano, porém, foi um dos temas que mais o interessaram ao longo da vida. Discorrendo proustianamente sobre sua Berlim natal, analisando a paisagem de cidades variadas como Nápoles e Moscou, tomando as galerias comerciais de Paris como a quintessência da modernidade, ligando a esfera doméstica privada à ascensão da burguesia ou vendo nas poesias de Baudelaire um novo habitante das metrópoles, o fato é que Benjamin deixou um legado único de reflexões sobre a ocupação humana do espaço urbano e a influência da arquitetura no dia a dia de uma cidade. Aqui o leitor terá, ao mesmo tempo, uma porta de entrada ao pensamento benjaminiano e um pouco do melhor que o intelectual alemão escreveu sobre esse tema ao longo das duas décadas mais ricas de sua produção intelectual. A coletânea é composta por textos e trechos selecionados de suas obras mais importantes – Rua de mão única, Imagens do pensamento, Passagens, Crônica berlinense, Infância em Berlim por volta de 1900 e O retorno do flâneur – e apresenta o pensador radical, capaz de explorar o nexo entre as facetas mais diversas da experiência humana. Benjamin via as cidades como livros a serem lidos. Nelas, tudo está em movimento e se interpenetra. Nada como o olhar deste arguto observador para pensarmos a experiência do existir, do flanar e do morar: “A porosidade é a lei dessa vida, que está para ser redescoberta a cada vez, inesgotavelmente. Uma pitada de domingo está escondida em cada dia útil, e quanto há de dias úteis nesse domingo!”. Os Editores"

Paris, a capital do século XIX e outros escritos sobre cidades

R$59.90Preço
Apenas 1 em estoque